Um passo a frente, ou dois para traz? Leia no artigo

O Brasil e sua diversidade são uma realidade vigente, em todas as vertentes, seja na educação, cultura ou religião, raça ou etnia, somos sem dúvida o país da diversidade, somos a miscigenação de um povo de muitos ‘’ Brasis ‘’.
O país viveu em 2016 dois mundos antagônicos, de inicio a expectativa da Olimpíada e uma crença de fracasso, o que não veio a confirmar-se, e do outro lado vive com a maquiagem de um país em potencial, e com o clichê de sempre ‘’ somos o país do futuro ‘’. Futuro que não chega se torna ilusão.

Nosso país tem em votação e em analises tomadas de decisões que serão de grande importância para a nação Brasileira, são PEC, s e MP, s importantes, no entanto a educação e a economia são os focos do momento. 

A MP de reforma do ensino médio é sem dúvida uma caixa de pandora que trará a sociedade Brasileira, mas uma oportunidade de nos torna ‘’ menos preparados para o futuro ‘’. Que mudanças o governo fez?

São várias. Vamos listar algumas: os professores não vão mais precisar ter diploma na área em que dão aulas, a flexibilização de metade do currículo básico (os alunos poderão escolher algumas matérias), fim da obrigatoriedade de educação física, artes, sociologia e filosofia (o governo voltou atrás) e incentivos para aumentar as escolas com ensino integral, entre outras mudanças.
Com isso fica notório o interesse de fazer educação de quantidade e não de qualidade. Enquanto os filhos dos políticos estão na educação particular a qual pagamos, nós estaremos na educação pública de quantidade e pouca qualidade.

‘’O Brasil com essa mudança espelha-se em vários países os quais tratam a educação como prioridade’’. Com certeza já ouviram essa afirmação, e sem dúvida ela é verídica, mas você sabia que nossa constituição já tem mecanismos que poderiam nos garantir educação de qualidade? Bom, se nossos administradores respeitassem a constituição teríamos professores formados em suas respectivas áreas. Se não tivermos bons professores teremos má educação, e com má educação não teremos futuros bons professores. 

O governo pula a fase mais importante da flexibilização do ensino médio, e educação como um todo: ‘’ Antes de flexibilizar deveria garantir educação de qualidade ‘’. Educação é direito básico de todos, e obrigação do governo. 

Para a flexibilização antes respeite a constituição, nos der Educação. Espera-se que a educação no Brasil resolva, sozinha, os problemas sociais do país. No entanto, é preciso primeiro melhorar a formação dos docentes, visto que o desenvolvimento dos professores implica no desenvolvimento dos alunos e da escola.

R.C. Christian
Com João Paulo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.