Polícia interrompe velório e leva corpo para investigação

Policiais civis interromperam o velório de um homem de 61 anos, que havia morrido possivelmente de infarto, e recolheram o corpo para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal de Campina Grande (Numol) após uma suspeita de que ele havia sido assassinado. O caso aconteceu nesta terça-feira (2), em Campina Grande.

Segundo a delegada Ellen Sousa, a família acreditava que o homem havia morrido de um infarto na madrugada da segunda-feira (1º) e estava sendo velado quando a polícia recebeu uma denúncia anônima informando sobre o possível assassinato.

“A denúncia que recebemos alertava para um possível assassinato e por isso foi decidido pelo recolhimento do corpo. No Numol, os peritos constataram que o homem tinha um traumatismo craniano que ocorreu antes da morte. Isso nos fez chamar familiares da vítima para depoimento”, informou a delegada.

Na delegacia, os familiares do homem informaram que na noite do dia 31 ele, que estava embriagado e fazia uso de medicamentos controlados, e uma filha mantiveram uma discussão e o homem chegou a cair.

“Houve essa informação de que o homem havia caído de cabeça no chão e, provavelmente, essa é a causa do traumatismo. Iremos ouvir mais testemunhas e, a princípio, o que vai se configurando é um homicídio culposo, que ocorre quando não é com intenção de matar”, concluiu a delegada.

Após a necropsia, o corpo do homem foi liberado para a família e ele foi sepultado em um cemitério de Campina Grande.

Portal Correio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.